Cleyson Dellcorso

Como sair de situações difíceis nos relacionamentos profissionais ou familiares

Você já teve a experiencia desagradável de um conflito no trabalho ou na família?

Estes conflitos são comuns. Muitas vezes não precisamos de mais ninguém para vivenciar um conflito, já tive a sensação de que parte de mim queria uma coisa e parte, outra; o que não deixa de ser um conflito pessoal.

Aqui quero tratar dos conflitos de qualquer tamanho que vivenciamos com outras pessoas.

Existem situações em que os conflitantes deixam de discutir suas ideias para apenas entrar em uma disputa, sem muita lógica, para ser o “vencedor” de uma discussão.

Em uma mensagem anterior eu comentei que durante muito tempo exerci função executiva com vários departamentos e filiais sob os meus cuidados, portanto tenha certeza que colecionei uma série de situações, algumas desagradáveis e outras hilárias, mas o importante é como aprendi a contornar estas situações, e é sobre isto que quero falar hoje.

Antes de comentar o que faço, quero deixar uma pergunta para sua reflexão: Como você reage no calor do momento?  Muitas vezes não refletimos sobre este detalhe, pois uma discussão ou conflito parece alterar nosso entendimento, fazendo-nos viver emoções fortes, o que só acrescenta combustível para as chamas da discussão.

Reflita sobre as dicas que apresento abaixo, se não concordar fique a vontade para compartilhar e defender seu ponto de vista. Não vamos entrar em conflito!

1 – Desenvolva sua Inteligência Emocional e, para estas situações, dê maior ênfase à consciência social e autoconsciência.

Reconhecendo sua resposta emocional a uma situação, terá tempo para fazer uma pausa, refletir e perceber os pensamentos que povoam sua mente. Ao invés de ser levado por uma onda de raiva ou pensamentos negativos, saiba que pode escolher como você responde, precavendo-se de dizer algo que pode se arrepender mais tarde.

Depois que comecei a praticar mindfulness, isto ficou mais fácil, pois reconhecer a sua resposta emocional é uma das consequências da prática.

2 – De posse de seu controle emocional, tenha uma conversa séria e desarmada com a outra parte

Em situações de descontrole emocional, uma reação instintiva é parar de se comunicar. Mas, se evitarmos uma conversa, que poderá ser difícil, estamos mais propensos a guardar sentimentos de raiva e culpa.

A fim de avançar, precisamos falar abertamente para que possamos obter nossas necessidades atendidas, ou o que é melhor, chegarmos a um resultado comum, para isso, também precisamos realmente saber ouvir.

Aqui entra um conceito interessante usado em Filosofia, que é chamado de “A falácia do terceiro excluído”, isto é, duas pessoas discutem, muitas vezes asperamente, cada uma tentando defender com unhas e dentes o seu ponto de vista, esquecendo-se que a solução do impasse, pode ser uma terceira via, que englobe ambos os pontos de vista, isto é, tomando o que é importante de cada um. Dificilmente uma das partes está totalmente certa ou totalmente errada. Basta juntar as partes certas de cada um e chegar a uma terceira alternativa.

3 – Finalmente, crie um recomeço no relacionamento praticando o perdão

O filósofo Sócrates dizia que uma vida não examinada não vale a pena ser vivida e eu, quero trazer esta frase para nosso contexto: Não examinando a situação, com isenção de emoções, guardaremos amargura ou raiva o que pode arruinar o nosso dia, nossa semana ou mesmo a nossa carreira em nosso trabalho.

Quando praticamos o perdão em ambos os sentidos, perdoamos a outra pessoa e perdoamos a nós próprios, poderemos encarar a situação de cabeça fria e coração limpo.

Nunca se esqueça que perdão e compaixão são os melhores remédios para manter um relacionamento pessoal e profissional em um alto nível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.