Cleyson Dellcorso

Um inquilino estranho

O que você acha dividir durante anos, um imóvel com uma pessoa que mal conhece?

Pode parecer estranho, mas esta situação é muito comum.

Dois estranhos sob o mesmo teto geram situações embaraçosas, um não conhece a reação do outro, ou mesmo, não sabem como o outro se comporta. Quem vê aquela casa, percebe de imediato que não existe sintonia e a dupla não chegará a lugar algum. Tem até um livro antigo que diz:” a casa dividida contra si mesma cairá”.

Poucas pessoas se dão conta que somos a nossa própria companhia durante toda a vida e, que, a maioria não conhece a si próprio em profundidade. Falta autoconhecimento, consequentemente, sempre haverá o incomodo de conviver com alguém que pouco conhecemos.

Se analisarmos a palavra “autoconhecimento” poderemos tirar conclusões interessantes: A palavra é formada por auto + conhecimento, onde “auto” refere-se a si próprio e conhecimento, vem do grego “gnosis” que se refere a entendimento.

Observando a etimologia da palavra podemos dizer que autoconhecimento é entender a si próprio.

Uma pessoa sem autoconhecimento é, portanto, uma pessoa que não entende a si próprio e que, consequentemente, não pode esperar que os outros a entendam, ou mesmo que façam bom juízo dela.

Quem não busca o autoconhecimento dificilmente terá reconhecimento de outros, quer seja na vida pessoal quanto profissional.

Pela falta de autoconhecimento não conseguem traçar sua missão de vida e muito menos estabelecer um sentido para ela, fazendo com que vivam uma vida que não merece ser vivida – uma vida não examinada.

Poucas empresas investem no desenvolvimento do autoconhecimento de seus colaboradores, mas deveriam fazê-lo, pois equipes formadas por profissionais que tenham um autoconhecimento acima da média, são mais coesas, mais produtivas e criativas.

O autoconhecimento melhora as relações interpessoais, consequentemente as características sócio emocionais, o que favorece a liderança por influência, além de manter o clima organizacional em níveis excelentes, por gerar um círculo virtuoso de entendimento e camaradagem.

Minha sugestão: faça uma análise, isenta de qualquer influência, de quanto você se conhece e invista nela, pois o autoconhecimento é a base do seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.