Cleyson Dellcorso

Você é feliz no seu trabalho?

Trabalho

Muitas pessoas não têm satisfação com seu trabalho e apenas o realizam por necessidade, fazendo com que os primeiros dias do ano pareçam ser finais de domingo quando surge aquele sentimento: vai começar tudo de novo!

É uma sensação desagradável que acontece semana após semana, sem que tenhamos a atitude de analisar a nossa vida para tomarmos uma decisão visando um futuro mais prazeroso e que apresente um sentido para viver.

A falta de satisfação com o trabalho afeta muito mais a nossa saúde do que percebemos a princípio. É algo que age silenciosamente e que aos poucos vai nos debilitando, física e emocionalmente.

Se você se identifica com a situação a seguir, sugiro que aproveite este período para começar um projeto de mudança:
  • Recentemente, você esteve deitado na cama, lutando contra seus pensamentos? Quando isto aconteceu, você apenas pensava no dia seguinte enquanto seu único desejo era que sua mente se acalmasse para conseguir dormir?
  • Quantas vezes você teve a sensação de que nasceu apenas para levantar pela manhã, se arrastar até a empresa, para voltar para casa no final do dia tentar dormir para iniciar o mesmo ciclo no dia seguinte?

Certamente você está pensando: sim isto acontece comigo e com muitas pessoas ao meu redor. O trabalho é um mal necessário, tenho família, filhos indo para a Faculdade. Que posso fazer? Existe alguma receita mágica para isso?

Minha resposta é: Sim existe, mas comece pela base e não pelos resultados. Excluindo uma herança não esperada, você e eu somente podemos nos manter através do fruto de nosso trabalho em uma atividade que ocupa a maior parte de nosso tempo, isto é, passamos mais tempo na empresa do que com nossos familiares. Só isso já é uma das razões para que exerça uma atividade que dê prazer e felicidade.

O ponto de partida está em conhecer a fundo você mesmo, de uma maneira que realmente espelhe você, sem ajustes ou ideias pré-existentes. Para que isto aconteça, é importante que aprenda a estar em silencio com você mesmo, sem que turbilhoes de pensamentos turvem a sua mente.

Minha sugestão é que desenvolva a atenção plena, que consiste em observar o seu interior sem criticar (ou fazer considerações) e em exercer a compassividade com você mesmo. Quando você está infeliz ou estressado, quando estes sentimentos invadem a sua cabeça, em lugar de levá-los para o lado pessoal, é importante aprender a tratá-los como nuvens escuras que passam acima de você, observando-as com curiosidade enquanto se afastam.

Em resumo, um estilo de vida de atenção plena permite que você identifique os pensamentos negativos antes que eles o lancem emocionalmente, ladeira abaixo.

O primeiro passo, portanto, é ter comprometimento e compromisso para desenvolver a atenção plena, o que não é difícil, porem exige de você, uma vontade real de iniciar um processo para dar sentido à sua vida.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.